BMR-PA lança catálogo em Oficina de História Oral, em Registro-SP

(function(d, s, id) { var js, fjs = d.getElementsByTagName(s)[0]; if (d.getElementById(id)) return; js = d.createElement(s); js.id = id; js.src = “//connect.facebook.net/pt_BR/all.js#xfbml=1”; fjs.parentNode.insertBefore(js, fjs); }(document, ‘script’, ‘facebook-jssdk’));

Anúncios

Documentário paraense abre Seminário de Cultura, em São Paulo

Imagem

Artistas, cineastas, produtores culturais, curadores, ativistas sociais, coletivos e galeristas se reúnem em São Paulo para dialogar sobre a produção e criação em torno dos temas patrimônio, memória e tecnologia social em rede. O Seminário acontece neste sábado, dia 8 de dezembro, a partir das 10 horas, coordenado pelo Estúdio Lâmina com a medição do curador do estúdio Luciano CortaRuas.
Os diálogos do Seminário serão abertos com a apresentação do documentário “Mestres Carpinteiros Navais – conhecer para valorizar”, filmado na cidade de Vigia de Nazaré, estado do Pará,  com narrativas dos mestres carpinteiros navais dos estaleiros da cidade sobre a arte, as técnicas de construção e as preocupações com o futuro da profissão, uma das mais antigas da Amazônia. O vídeo foi produzido pelo poeta e gestor cultural Samir Raoni, com direção do cineasta Mateus Moura e orientação do pesquisador Francisco Oliveira. Em março o vídeo será apresentado no Pará em circuito de apresentação que está sendo montado junto à rede de cineclubes e pontos de cultura, com apoio da Redecom Comunicação e Cultura em Rede Amazônia.

Dois eixos temáticos irão nortear os debates do Seminário, conduzidos por dois grandes realizadores da arte, do cinema, da produção e articulação cultural no Brasil. A produção audiovisual na formação da identidade e na valorização crítica da memória cultural no Brasil será o eixo de partida para Beto Brant nos contar um pouco de sua trajetória cinematográfica e o modo como monta sua narrativa visual sobre as realidades históricas, sociais e políticas do brasileiro atualmente.
Arte contemporânea, streat art e educação serão o mote para Baixo Ribeiro nos falar das pioneiras contribuições que a galeria Choque Cultural e seu Educativo-Instituto vem realizando nos campos da arte urbana e suas realizações na criação de novos processos educacionais que valorizam a potência comunicativa que a arte feita no espaço urbano oferece para transformar a realidade.

SERVIÇO:

Endereço: Estúdio Lâmina- Avenida São João, 108 – Sala 41
Data: 08/12/2012 (Sábado) a partir das 10h00
Telefone: 97029.6338 – Luciano Corta Ruas (curador e gestor do Estúdio Lâmina)

Evento Facebook: http://www.facebook.com/events/138328509651508/?ref=ts&fref=ts

Samir Raoni

Imagem

Artistas, cineastas, produtores culturais, curadores, ativistas sociais, coletivos e galeristas se reúnem em São Paulo para dialogar sobre a produção e criação em torno dos temas patrimônio, memória e tecnologia social em rede. O Seminário acontece neste sábado, dia 8 de dezembro, a partir das 10 horas, coordenado pelo Estúdio Lâmina com a medição do curador do estúdio Luciano CortaRuas.
Os diálogos do Seminário serão abertos com a apresentação do documentário “Mestres Carpinteiros Navais – conhecer para valorizar”, filmado na cidade de Vigia de Nazaré, estado do Pará,  com narrativas dos mestres carpinteiros navais dos estaleiros da cidade sobre a arte, as técnicas de construção e as preocupações com o futuro da profissão, uma das mais antigas da Amazônia. O vídeo foi produzido pelo poeta e gestor cultural Samir Raoni, com direção do cineasta Mateus Moura e orientação do pesquisador Francisco Oliveira. Em março o vídeo será apresentado no Pará…

Ver o post original 193 mais palavras

Centro Cultural SESC Boulevard realiza fotovaral e valoriza a memória e o patrimônio Cultural de Belém

Foto: Pedro Cunha, participante da I Maratona Fotográfica

Foto: Pedro Cunha, participante da I Maratona Fotográfica

Quem for a Praça Batista Campos no próximo domingo (20) poderá conferir o resultado ímpar da primeira  Maratona Fotográfica do projeto “Belém 16.16”. No local será exposto um fotovaral com mais de 250 imagens capturadas por uma centena de participantes que revelam uma Belém multifaceta e instigante.

 
 Segundo o fotógrafo Miguel Chikaoka, idealizador do projeto, “as  imagens trazem a cidade nas suas variadas dimensões através de olhares diversos e propiciam o exercício de construção de um testemunho, com sentimentos e relações afetivas, culturais, políticas”.
Na oportunidade também serão oferecidas gratuitamente oficinas de câmeras obscuras para o público, que terá a oportunidade de descobrir e vivenciar o processo de formação da imagem através da combinação de técnicas de dobraduras com jogos e brincadeiras sensoriais. Serão ofertadas 12 vagas em cada uma das duas turmas, uma de manhã e outra à tarde. As inscrições devem ser feitas no coreto central da praça, local onde será realizada a oficina.

A ação faz parte do projeto “Belém 16:16 – Maratona Fotográfica Cidade de Belém”, constituído por um conjunto de ações que começaram a ser desenvolvidas em 2011 pelo Centro Cultural SESC Boulevard , com a proposta de chegar em 2016, ano em que a cidade de Belém comemora 400 anos de sua fundação, com uma coleção de imagens e testemunhos que possibilitem uma visão reflexiva  e diversificada de Belém.

Atualmente está sendo realizado a segunda edição da Maratona Fotográfica e o resultado poderá ser conferido em agosto deste ano.
 
SERVIÇO:
Projeto  Belém 1616  – Fotovaral
Local: Praça Batista Campos
Data: 20/05/2012
Horário: 10 às 14h
 
Oficinas de câmeras obscuras
Local: Coreto Central
Inscrições gratuitas poderão ser feitas diretamente no local, apenas 12 vagas em cada sessão.
Horários:
Turma 1 -10h30  às 12h.
Turma 2 – 12h às 13h30.   
 

PARTICIPANTES 

Abraão Carneiro dos Santos
Adelaide Ferreira de Araujo
Adriele Cristine Silva da Silva
Aida Maria de Mello Neto
Aline Silva Ferreira
Amanda Priscila de Souza Silva
Ana Catarina
Ana Mokarzel
Anderson Fattori Leal
Anderson  Coelho
Antonia Catarina Rodrigues Costa
Antonio Carlos Brandão Monteiro
Antonio Carlos Sales da Silva
Arlete Soed Paredes
Ary Souza
Brenda Venina Paiva da Silva
Camila Lima
Cândida Ivy Figueira da Silva
Celso Roberto de Abreu Silva
Chaya Zagury
Cinthya Marques
Cyro Almeida
Danilo Pontes Barata Pires
Deborah Cabral Rabelo
Douglas  Caleja
Edielza de Souza Dais
Erika Nunes
Fátima do Rosario Pacheco Soares
Fernando  Polaro 
Flávia Souza
Galvanda Queiroz Galvão
Glauce Rodrigues Andrade
Guy Veloso
Ionaldo Rodrigues da Silva Filho
Irene  Almeida
Janduari Simões
José Viana
João Jairo Moraes Vansiler
Joyce  Nabiça
Karina Vidal Moriya
Kazuo  Kamizono
Kelvyn Menezes Cunha
Kessia Silva Moraes
Lívia Martino de Miranda
Luciana Bezerra Farias
Luciana Correa Bibas
Makiko Akao
Marcílio dos Santos Gonçalves
Marcio Joaquim Tavares de Jesus
Marcos André Costa
Maria das Graças Ayan Gaia
Maria Dorotéa de Lima
Maria Goretti da Costa Tavares
Maria Simone Silva Gomes Barbosa
Marise Maués
Marta  Cosmo
Mauro Afonso Araujo Ribeiro
Patrícia Marins Povoa
Pedro Cunha
Pedro Paulo dos Santos
Renato Cruz de Souza
Roberta Figueira Batista
Ronald Junqueiro
Ronaldo Lucio Lopes Andrade
Shirley Penaforte
Suely  Nascimento
Tamara Saré
Tássia Ariadne das Neves Barros
Tayna Portilho de Aquino
Teonila Bezerra Lima
Tereza Jardim
Thomas Tavares de Souza
Ubirajara Bacelar Neto
Valério Silveira
Vivian Karina Zeidemann
Wisfredo Guimarães Gama
Yasmin  Vasconcelos

Programação Balaio do Patrimônio – Belém

 Balaio do Patrimônio 2012

 Período: 24/04 a 27/04/2012       Local: Auditório Iphan/Pa (José Malcher, esquina Benjamim, Belém/Pa)

24 de abril de 2012

08h às 12h Roteiro Geo-turístico “Belle Epoque” (GGEOTUR/UFPA)

Local de encontro: Cine Olympia (Av. Presidente Vargas)

14h às 18h Mini curso “Arquivos e Política de Memória” (CMA/UFPA)

Local: Centro de Memória da Amazônia (Trav. Rui Barbosa, 491)

18h às 19h Credenciamento
19h às 20h Mesa de abertura (Representantes Iphan/Secult/Fumbel)
20h às 22h Palestra – Balanço do PACCH no Brasil

– Robson Almeida (Coordenador Nacional do PAC Cidades Históricas – Iphan)

25 de abril de 2012

08h às 12h Mesa redonda 1: Educação patrimonial e Casas do Patrimônio

Palestrantes

– Carla Cruz (Superintendência do Iphan no Pará)

Rede Casas do Patrimônio Pará

– Átila Tolentino (Superintendência do Iphan no Paraíba)

Casa do Patrimônio João Pessoa/PB

– Robson Oliveira (Espaço Cultural Vila Esperança)

“Ojó Odê” e “Afoxé Ayó Delê”: Vivências Afrobrasileiras

Mediadora: Sônia Florêncio (Coordenadora Educação Patrimonial – Iphan)

12h às 14h Intervalo Almoço
14h às 18h Os participantes poderão se inscrever nas oficinas 1 ou 2 no ato da inscrição. As oficinas terão duração de 8 horas e serão realizadas nos dias 25 e 26/04/12, 14h às 18h.
  Oficina 1: Elaboração de roteiros geo-turísticos (GGEOTUR/UFPA)
  Oficina 2: Patrimônio e Cidadania Cultural (SECULT/PA)
18h às 19h Sessão de filme – Ribeirinhos do Asfalto, de Jorane Castro

26 de abril de 2012

08h às 12h Mesa redonda 2: A realização de eventos públicos em áreas tombadas

Palestrantes

– Carlos Amorim (Superintendente do Iphan na Bahia)

Principal e Acessório no Patrimônio Histórico

– Giorge Bessoni (Superintendência do Iphan em Pernambuco)

Frevo e Maracatu: O carnaval em Olinda e no centro antigo de Recife

– Kátia Bogéa (Superintendente do Iphan no Maranhão)

Festas Juninas e Bumba Meu Boi

Mediadora: Dorotéa de Lima (Superintendente do Iphan no Pará)

12h às 14h Intervalo Almoço
14h às 18h Os participantes poderão se inscrever nas oficinas 1 ou 2 no ato da inscrição. As oficinas terão duração de 8 horas e serão realizadas nos dias 25 e 26/04/12, 14h às 18h.
  Oficina 1: Elaboração de roteiros geo-turísticos (GGEOTUR/UFPA)
  Oficina 2: Patrimônio e Cidadania Cultural (SECULT/PA)
18h às 19h Sessão de filme – Pássaros Andarilhos, Bois Voadores, de Luiz Arnaldo Campos

27 de abril de 2012

8h às 12h Mesa redonda 3: Registro e Salvaguarda de bens culturais

Palestrantes

– Giorge Bessoni (Superintendência do Iphan em Pernambuco)

Feira de Caruaru e Frevo

– Kátia Bogéa (Superintendente do Iphan no Maranhão)

Tambor de Crioula e Bumba Meu Boi

– Simone Almeida (Superintendência do Iphan na Bahia)

Ofício das baianas do Acarajé e o Samba de Roda

Mediadora: Célia Corsino (Diretora do Departamento de Patrimônio Imaterial – Iphan)

12h às 14h Intervalo Almoço
14h às 18h Mesa 4: Identificação, Reconhecimento e Valorização da Patrimônio Afrobrasileiro

Palestrantes

– Rosa Acevedo (NAEA/UFPA)

A Comunidade Taperinha: iniciativas locais e ações interinstitucionais

– Camila do Valle (UFRRJ)

A cartografia dos afrorreligiosos de Belém

– Alfredo Wagner (PNCSA/UFRJ – UPAM)

A questão quilombola no Brasil/Amazônia: estado, organizações sociais e sociedade civil

Mediadora: Júlia Morim (Superintendência do Iphan no Pará)

18h às 19h Apresentação dos resultados das oficinas
19h às 20h Mesa de encerramento (Representantes Iphan/Secult/Fumbel)
 às 21h Apresentação Cultural

Casa da Memória – Exposição “Traços da Cidade”

Casa da Memória estará com a exposição “Traços da Cidade” na Escola Liceu de Artes e Ofícios “Mestre Cardoso”, em Icoaraci, entre os dias 7 março e 27 de abril. O acervo é objeto de estudo da ação patrimonial e fotográfica desenvolvida pelos alunos do curso de Artes Visuais e Tecnologia da Imagem. A ideia da exposição é sensibilizar e informar sobre a importância da preservação do patrimônio arquitetônico, artístico e cultural de Belém.  A exposição é uma parceria da Unama com Secretaria Municipal de Educação.

Ainda no mês de marco, será possível conferir vídeos selecionados e premiados no “Festival Minuto: Mostra dos Melhores Minutos de 2011”, que acontecerá de 20 a 30, no passo Galeria  – Hall de entrada do Campus Alcindo Cacela, sempre às 18h.

APJCC realiza Ciclo de exibição de obras do Cinema Oriental

Ananindeua Ganha primeira Sala para exibição de grandes obras que marcaram a história do cinema, sempre com Entrada Franca!

De olhos bem abertos em quem tem os olhos meio fechados, o Cine Argonautas em parceria com a APJCC promove um ciclo de exibições com perolas do cinema oriental. Essa ação inaugura uma jornada da Associação em prol de criar um olhar mais atento a fantástica produção áudio-visual do oriente. O Brasil é o pais com maior numero de japoneses fora o japão, tendo aqui muitos imigrantes que deis do ciclo da borracha vieram para o Pará e passaram a fazer parte da realidade sociocultural desta terra, portal da amazônia. Brasileiros, filhos de gente que veio do outro lado do mundo, e que se adaptou harmoniosamente a nossa cultura; Já que poucos de nós vamos poder ir la fazer o mesmo, a APJCC propõe que façamos esse contato através da arte, através dos mestres orientais que emprestaram seus olhos à nós pelas lentes do cinema. O Ciclo Novos Orientes vai exibir cinco obras, entre eles 2 longas da primorosa animação japonesa que merece toda a sensibilidade de quem reconhece a verdadeira arte quando ela se apresenta. Enquanto alguns críticos discutem se esta pode ser considerada Arte como o cinema, alguns gênios como Miyazaki mostram que ela pode ser até mais.
(Lionay Dias, Samir Raoni e Thiago Oliveira)
Programação
(29/09) – Princesa Monnoke, Hayao Miyazaki
(06/09) – RAN, Akira Kurosawa
(13/10) – Dragão chines, Lo Wei
(20/10) – Sede de Sangue, Chan-wook Park
(27/10) – Túmulo dos Vagalumes, Isao Takahata
***
O Ciclo Novos Orientes vai acontecer nas sessões semanais que acontecem na Sala de Exibição do Restaurante Popular de Ananindeua (Cidade Nova VI, WE 72 com sn 22 – em frente a pça Dom Vincente Zico) à partir das 18h30, sempre com Entrada Franca!
O Ciclo vai iniciar com uma perola da animação japonese “Princesa Mononoke” de 1997, dirigida por um dos talentosos gênios do cinema de animação Hayao Miyazaki. O Cine tem a curadoria compartilhada entre os membros da APJCC, e nesses semestre exibirá também, grandes obras da cinematografia mundial, passando pela produção brasileira, americana, europeia, oriental e pelo cinema de animação.
Confira a sessão Princesa Mononoke (aqui)

Ciclo Novos Orientes apresenta Princesa Mononoke, grande perola de Hayao Miyazaki

*“Uma princesa entre os lobos , um mergulho nos princípios da natureza”
Sinopse:
Ashitaka é o jovem guerreiro do clã Emishi que é amaldiçoado ao defender a sua aldeia de um demônio criado pela violência humana. Assim, viaja até à região controlada pelo clã Tatara na esperança de compreender a maldição que lhe fora posta, antes que esta o mate. O que Ashitaka vai encontrar é um conflito entre os humanos e os deuses da floresta. Apanhado no meio do conflito, Ashitaka conhece San, a Princesa Mononoke, criada por lobos, e trava feroz brigas para acabar com os humanos que ameaçam a floresta. Ashitaka colocar-se entre San e Lady Eboshi, a líder do clã Tatara, procurando um meio de terminar a guerra.

Sobre o filme:

Em um épico sobre a tumultuosa relação do homem com a natureza, Miyazaki mostra como a animação tradicional japonesa, ao usar temas tão recorrentes como amor e ecologia, pode resultar em uma obra tão surpreendente. Com sua estética de sonho, ele pinta uma era de deuses ferais que, incapazes de defender a floresta da pólvora do homem, são consumidos por ódio e a vingança. Uma era, onde o homem também a perece entre guerras e pragas naturais, escolhendo domar a natureza para sobreviver. Sem maniqueísmos, Miyazaki combina politica e fantasia , príncipes e deuses, em uma guerra que não distingui lados, uma guerra onde sangue e lagrimas são os espólios, uma guerra como todas as outras.
Lionay Dias
SERVIÇO
Cine Argonautas apresenta “Princesa Mononoke”, de Hayao Miyazaki
Data: 29 de setembro (quarta-feira)
Horário: 18h30
Local: Sala de Exibição do Restaurante Popular de Ananindeua (Cidade Nova VI, WE 72 com sn 22 – em frente a pça Dom Vincente Zico)
ENTRADA FRANCA

Realização: APJCC e Cine Argonautas
Parceria: SEMMA e, Cine CCBEU, Ponto de Cultura Ananin e Rede Norte de Cineclubes (RNC)
Comentários: Lionay Dias, Samir Raoni e Thiago Oliveira
*Conferirá a Programação do Ciclo Novos Orientes (aqui)

Argonautas realizam Carana de Inclusão Digital em Cachoeira do Arari-Marajó

Foto: Os Argonautas Samir Raoni e Helton Almeipda realizando a 3° Oficina de Web 2.0 – A Internet Colaborativa, que aconteceu no laboratório de
informática da Escola Estadual Delgado Leão tendo na 3 ° oficina 15
jovens inscritos, resultando em 15 blogs que agregaram ferramentas de web rádio, web tv e redes sociais.

Fontos: Confira algumas fotos publicadas

A parceria da ONG Argonautas com a 1° Mostra de Cinema Marajoara leva para cachoeira as praticas do projeto CARAVANA DIGITAL: JUVENTUDE CONECTADA PELA CIDADANIA que aporta em Cachoeira do Arari, que originou-se da freguesia de Nossa Senhora da Conceição da Cachoeira do rio Arari, em 1747. O Município abriga o Museu do Marajó, fundado em 1972 pelo padre italiano naturalizado brasileiro Giovanni Gallo no galpão onde funcionava uma fábrica de óleo. Na cidade também viveu o escritor Dalcídio Jurandir a qual homenageou com o livro Chove nos Campos de Cachoeira. A Ong não-governamental Argonautas Ambientalistas da Amazônia, fundada em 14 de agosto de 1992, no campus da Universidade Federal do Pará, que tem a finalidade de defender o meio ambiente e promover o desenvolvimento local sustentável, a cidadania e a democratização das relações sociais, humanas, econômicas, políticas e culturais da Amazônia, aporta suas velas de solidariedade na Cidade com rica cultura e expressão Marajoara em motivo da 1° Mostra de Cinema Marajoara que acontece deis de 24 de Abril com rodas de conversa, oficinas e mostra audiovisual em praça publica.

Hoje, 27 de abril os Argonautas Samir Raoni e Helton Almeida realizaram a 3° oficina de Web 2.0 A Internet Colaborativa. Pela manhã e pela tarde. A Oficina introduziu os jovens à “nova” mudança da internet como plataforma, pois na nova era da web o importante é desenvolver aplicativos que aproveitem os efeitos de rede para se tornarem melhores quanto mais são usados pelas pessoas, aproveitando a inteligência coletiva”.

Raoni diz que colaborativamente, a web 2.0 também pode ser usada como uma ferramenta pedagógica para a construção de conceitos. É neste sentido que a chamada “arquitetura de participação” de muitos serviços online pretende oferecer além de um ambiente de fácil publicação e espaço para debates, recursos para a gestão coletiva do trabalho comum, no caso da escola, criando uma interdisciplinaridade das meterias. No entanto, devemos estar atentos ao fato de que, quando se discute o trabalho aberto e coletivo online, não se pode pensar que não deva haver a regulação das relações. Igualmente ao trabalho coletivo não virtual, há sempre possibilidades de termos que lidar com ações não prudentes e desvinculadas do objetivo principal do projeto. Uma rede social online não se forma tão e somente pela simples conexão de terminais, conclui o Educomunicador Raoni. “Trata-se de um processo emergente que mantém sua existência através de interações entre os envolvidos” destaca Primo.

Participaram da III oficina 15 alunos da escola estadual Delgado Leão que fica localizada no centro da cidade de Cachoeira do Arari. O resultado das 3° oficinas de Web 2.0 é latente na escola, onde todos os 35 jovens introduzidos nessa nova forma de inclusão e protagonismo social, hoje chamado de Web-Ativismo, gerou 35 blogs que agregam ferramentas de web rádio, web tv e ferramentas de interação em redes sociais que fizeram os jovens trazerem novos sentidos para o uso da internet antes limitada apenas ao MSN e ORKUT, reflete Raoni lembrando dos depoimentos dos jovens sobre o uso da internet.

A primeira oficina foi feita para o turno da manhã que participou da Roda de Conversa com os educadores Argonautas, oficina que gerou o interesse dos jovens do turno da tarde que acharam injusto não ter oficinas para os alunos da tarde, pedindo para a diretora para ser realizada oficinas para o seu turno também, de base dessas novas inscrições dos jovens e do apoio da educadora Sandra Souza, Diretora da unidade de ensino, parceria crucial para a realização das oficinas, foram realizadas mais duas oficinas, tendo mais duas que as jovens lideranças da escola foram articular com Aristides, Secretário de Cultura do município, que esta garantindo a hospedagem solidária e alimentação para os oficineiros que realizam essas ações voluntariamente, pois entendem a importância que tem estimular o protagonismo juvenil nos jovens cachoeirenses.

Acabamos de concluir essa Caravana Digital Solidária conectando a juventude cachoeirense pela cidadania, sensibilizados pelo grande numero de jovens interessados em se apropriar desse conhecimento tão necessário. Essa jornada de oficinas que acontece na 1° Mostra de Cinema Marajoara integra o projeto CARAVANA DIGITAL – JUVENTUDE CONECTADA PELA CIDADANIA uma iniciativa da Ong Argonautas Ambientalistas da Amazônia em parceria com o governo do Estado visando a inclusão digital de jovens a partir de 3 (três) passos; a) articular escolas e movimentos sociais voltados para a juventude, sensibilizando gestores de escolas, lideranças locais e parceiros a partir da necessidade de desenvolvimento de ações de inclusão digital, cultural e social; b) elaborar um diagnóstico participativo, cujo objetivo é o trabalho de campo pautado nas necessidades e demandas; c) formar e capacitar jovens a partir das oficinas e atividades a serem desenvolvidas pelo projeto, em especial as de inclusão digital e produção audiovisual/fotografia.

A 1° Mostra encerra hoje com com o lançamento do Filme Ajuntador de Cacos – A história de Giovanni Gallo e o seu Marajó que acontece na praça do Imperador, convidando todos os moradores Cachoeirense para prestigiar essa história que poderia ser ficção, mas é realidade.

Fonte: Rede Amazônica de Protagonismo Juvenil

Argonautas realizam Roda de Conversa com 56 alunos do 1°, 2° e 3° ano do ensino médio da Escola Professor Delgado Leão.

Hoje 26 de abril os Argonautas continuam suas ações em Cachoeira do Arari que realiza a 1° Mostra de Cinema Marajoara parceria entre Museu do Marajó prefeitura Municipal de Cachoeira do Arari, Governo do Estado, Irmandade de São Sebastião, AMAM, ONG Argonautas, produtora LUX Amazônia entre outros, que privilegia filmes que tenham sido rodados no arquipélago e desenvolve rodas de conversas e oficinas de cine-ativismo-digital, web 2.0 – a internet colaborativa e cineclubismo.

Os Argonautas Samir Raoni, Higor Tohany e Helton Almeida de Belém do Pará realizaram hoje pela manhã Roda de Conversa com 56 alunos do 1°, 2° e 3° ciclo do ensino médio da Escola Professor Delgado Leão que se localiza no centro de Cachoeira do Arari, no bairro 7 de Setembro. Os jovens receberam os educadores com bastante receptividade participando da roda de conversa. As vivências em rodas são participativas e coletivas, que buscam identificar os principais desafios, experiências e poéticas dos grupos de jovens das escolas, comunidades e pontos de cultura. Através destas atividades serão identificados os conflitos e valores existentes, bem como formas e espaços de resolução através do diálogo e da convivência que permita um sentimento de pertencimento que gere Cultura de Paz. Na roda Samir Raoni, documentarista, poeta e arte-educamor falou do vídeo-doc que esta realizando com jovens principalmente de escolas publicas, pontos de cultura, comunidades ribeirinhas, quilombolas e indígenas, ‘Roda Vida Juvenil” – continuação/ampliação do projeto ‘Rodas de Memória Escolar’, realizado no ano de 2008 na escola Ulysses Guimarães na I Feira da Cultura Ambiental, em outubro do mesmo ano com o Pontão Cultura do Instituto Pólis, São Paulo, em Marabá em parceria com o Ponto de Cultura GAM. O vídeo-documentário vai refletir a MEMÓRIA JUVENIL tendo como eixos de pesquisa a família, a escola e a sociedade. O documentarista pretende montar através das narrativas das histórias de vida, como a escola tem colaborado para o processo de formação de cidadãos comprometidos e participativos do desenvolvimento social e cultural da nova geração. Esses vídeos-documentários tem o apoio metodológico do Museu da Pessoa, responsáveis pelo Pontão de Cultura Brasil Memória em Rede, projeto que sou pesquisador de histórias de vida e pretende ser exibido na 2° Mostra de Cinema Marajoara, enviado para as Escolas Publicas, Comunidades, Pontos de Cultura e Cineclubes.

Mais informações sobre esse projeto acesse: www.samiraoni.wordpress.com

Novos Cines Mais Cultura no Pará, Acre e Piauí

Selecionados nos editais estaduais receberão equipamentos, acervo audiovisual e capacitação cineclubista

Dezenas de municípios do Acre, Pará e Piauí passarão a contar com novas salas para exibição gratuita de filmes, os Cines Mais Cultura. As localidades beneficiadas situam-se nas periferias dos centros urbanos e no interior dos estados, nos Territórios da Cidadania, e não possuem salas de cinema.

Com investimento de cerca de R$ 1,2 milhão, sendo 67% de recursos federais e 33% da contrapartida dos governos estaduais, os selecionados receberão equipamentos de projeção, acervo audiovisual com obras do catálogo da Programadora Brasil e oficinas de capacitação cineclubista.

Confira as relações de contemplados no Acre, Pará e Piauí.

Editais Estaduais – A iniciativa, que visa ampliar o acesso da população ao cinema e apoiar a difusão da produção audiovisual nacional, é desenvolvida por meio de editais lançados em parceria com o Ministério da Cultura. Até o final deste ano, 1.600 salas de exibição não comercial deverão integrar uma rede nacional.

Leia mais.

(SAI/MinC

Jovem IDEA: Grande Colheita de Esperança, 24 de Abril, Escola Bosque.

Centenas de jovens das comunidades de Icoaracy e Outeiro em Grande Belém vão se reunir neste sábado, dia 24 de maio, das 08 às 16 horas no
Auditório da Escola Bosque, onde haverá apresentações de teatro,
dança, música, e artes cênicas, além de rodas de diálogo para
realizar mais um passo do projeto mundial “Jovem IDEA: Grande
Colheita de Esperança”. O encontro é realizado e organizado pela
Rede Brasileira de Arteducadores (ABRA) e pelo Grupo de Teatro
Monturo – Outeiro/PA, em colaboração com a Associação
Internacional de Teatro e Educação (IDEA) e faz parte da preparação
e mobilização do VII Congresso Mundial da IDEA 2010 que acontecerá
este ano em Belém do Pará, entre os dias 17 e 25 de julho.

Os jovens que participarão nesse encontro são a maioria dos grupos da
região metropolitana de Belém e estarão participando em oficinas
ministrados por jovens de mais de 15 países a partir do inicio de
julho. Desde o inicio de 2009, jovens atores e diretores do mundo
inteiro vem se preparando para participar numa residência na Escola
Bosque que vai criar uma nova peça teatral chamada “Grande
Colheita da Esperança”. O projeto mundial possibilita que jovens
expressam e reflitam sobre seus desejos e medos, aprendendo como
coordenar, produzir coletivamente e cultivar valores de solidariedade
e cuidado. A Escola Bosque será o berço ideal para um projeto
dedicado as questões do meio ambiente, respeito pela diversidade e
transformação sustentável, base de uma educação capaz de lidar
com as necessidades do Seculo XXI.

Neste sábado, os jovens vão trocar culturas e celebrar a diversidade. Entre eles estão os
jovens do projeto de cerâmica do Mova-Ci (Movimento Vanguarda
Cultural de Icoaraci), cordões de Pássaro, grupos de Hip-Hop,
Grupos de Dança Folclórica (como o Balé Folclórico da Amazônia),
Grupos do Guamá em Rede (Guaerê, Rede de Proteção à criança e
ao adolescente que funciona no bairro do Guamá), Grupo
Kacholanakumbuca (teatro de bonecos), Dançarte Cia. de Dança de
Marituba, e componentes do tradicional Pássaro Junino Colibri. Além
dos grupos “Rabecas de Bragança” e “Anjos em Cena” de Santo
Antônio do Tauá.

Os jovens da Grande Belém estão se preparando para acolher seus colegas internacionais. Participarão de
apresentações culturais e coordenarão três rodas vivas sobre
Vida, Diversidade, e Transformação que estruturarão os debates e
as reflexões sobre o futuro,em particular, o futuro da Amazônia.
Também os jovens no dia 24, elaborarão propostas para o grande
encontro de IDEA 2010 que reunirá 2000 educadores, arte-educadores e
gestores de mais de 70 países do mundo para discutir e vivenciar
novos métodos de ensino em aprendizagem baseados na cooperação,
cuidado e sustentabilidade.

De acordo com um dos jovens coordenadores do evento “Queremos mostrar que um grupo de jovens é
capaz de fazer um evento como esse, que toque na mente das pessoas,
pra que elas acreditem que a gente pode melhorar a maneira de fazer
as coisas.” Michel, jovem do Projeto de Cerâmica do MOVA-CI.

1ª Mostra de Cinema Marajoara, 24 a 27/04, Cachoeira do Arari-Marajó.

Samir Raoni da ONG Argonautas Ambientalistas da Amazônia e Tuxaua da Rede Norte de Cineclubes irá participar da 1ª Mostra de Cinema Marajoara realizado pelo Museu do Marajó no período de 24 à 27/04, a no município de Cachoeira do Arari/Marajó e privilegiará filmes que tenham sido rodados no arquipélago.

A programação contará com obras raras como as de Líbero Luxardo “Marajó- Barreira do Mar” e o lançamento dos documentários “O Ajuntador de
Cacos” de Paulo Miranda – Lux Amazônia, “Sou teu Maninho – Um grito
Marajoara” de Daniel Corrêa, selecionado no Projeto Revelando os Brasis
e “O Glorioso”, produzido pela Castanha Filmes, com direção, fotografia
e edição de Gavin Andrews e que contou com a participação da equipe de
pesquisadores do IPHAN,
os Argonautas escreveram na mostra três produções realizadas no
Arquipélago marajoara, “Agentes de Memória em Rede”, “Vozes Jovens da
Amazônia” e “Comunicação Comunitária Marajó”, outros filmes foram
inscritos e selecionados para a Mostra até o dia 20/04.

Além da exibição dos filmes da Mostra, serão realizadas as oficinas “Cineclube: Cinema pra Gente” e “Elaboração de Projetos e Captação de Recursos”, na qual, haverá elaboração prática de projetos para o MINC.

A I mostra de Cinema Marajoara está prevista para acontecer durante as homenagens de aniversário do Padre Giovanni Gallo, que este ano
completaria 83 anos no dia 27/04. O projeto é promovido pelo Museu do
Marajó em parceira com a prefeitura Municipal de Cachoeira do Arari, Governo do Estado, Irmandade de São Sebastião, AMAM, ONG Argonautas e a produtora LUX Amazônia.

Programação

24 – sábado

Manhã e Tarde – Oficina cineclube: Cinema pra gente.

Noite – Lançamento do Filme Ajuntador de Cacos – A história de Giovanni Gallo e o seu Marajó.

Documentário de Paulo Miranda/Lux Amazônia.

25 – domingo

Manhã – (Filme Selecionado)

Tarde – A Festa da Cobra.

Curta documentário do Coletivo Resistência Marajoara.

Sou Teu Maninho! Um grito marajoara.

Curta de ficção do Projeto Outros Brasis.

Direção de Daniel Corrêa.

Noite – Lançamento do Filme O Glorioso.

Documentário sobre Festa de São Sebastião de Cachoeira do Arari.

Uma realização do IPHAN.

26 – Segunda.

Manhã e Tarde – Oficina “Elaboração de projetos de captação de recursos”.

Tarde – Perseverança – São Sebastião da Boa Vista – PA.
C
urta de ficção do Projeto Outros Brasis.

Direção: Mauro Bandeira

Noite – Marajó, barreira do mar

Filme Longa-mentragem de Líbero Luxardo.

27 – terça

Manhã – Exibição do Making-off do Filme Ajuntador de Cacos (Conversa sobre a produção).

Tarde – É proibido não tocar nos saberes do Museu do Marajó.

Curta Documentário de Darcel Andrade.

Noite – Ajuntador de Cacos – A história de Giovanni Gallo e o seu Marajó.

Documentário de Paulo Miranda/Lux Amazônia.

Formação em Tecnologia Social da Memória e Revolução Midiática – 16, 17 e 18/04 – Cananéia – SP

Samir Raoni Documentarista e Pesquisador do Pólo Pará do BMR/Argonautas de Belém do Pará e Nilce Léa Lobato, Universidade Cruzeiro do Sul/CNPq participam da Formação em Tecnologia Social da Memória e Revolução Midiática – 16, 17 e 18/04 – Cananéia – SP, onde irão apresentar o projeto “Memória Social em Rede – Histórias e Cultura do espaço rural e urbano do Norte e Sul do Brasil”, projeto que tem como tema a memória social, que serão as histórias de vida de Jovens e adultos que residem em São Paulo/Cananéia e Belém do Pará/Ribeirinha e Quilombolas, zona urbana e rural. O objetivo é resgatar memória de vida dos jovens e adultos que residem nestas cidades a fim de remontar a trajetória e recompor o tempo passado – recordação dos acontecimentos políticos, econômicos e social. Identificar os impactos que a cultura e costumes gera na vida destas pessoas.

O projeto é fruto de uma parceria entre esses dois pesquisadores que tem como pano de fundo o estudo científico de “Histórias de vida de pessoas adultas não alfabetizadas: a memória social da não escolarização” realizado pela pesquisadora Nilce Léa, que realiza o estudo a três anos com adultos acima de 40 anos, e Samir Raoni, que realiza vários projetos com jovens estudantes de escolas públicas com idade de 14 a 22 anos, em parcerias com organizações e pontos de cultura que se relacionam com o Programa de Protagonismo Juvenil da ONG Argonautas, na qual é o coordenador, onde tem ministrado oficinas de Comunicação Compartilhada para a Produção de Memória Local através do Pontão de Cultura Rede Amazônica de Protagonismo Juvenil.

Esta formação faz parte do projeto Prêmio Tuxáua Cultura Viva, lançado pelo Ministério da Cultura em 2009 e tem como proposta a mobilização e articulação de ações que reúnam representantes de diversos Pontos de Cultura, redes sociais e iniciativas de atividades que promovam o fortalecimento de laços e somem esforços na construção de objetivos comuns. Visando isso, o Ponto de Cultura “Caiçaras” – Cananéia/SP, querem compartilhar sua experiência com os demais Pontos do Vale do Ribeira e tecer uma rede horizontal de iniciativas para fortalecer e potencializarmos suas ações.

O objetivo é articular e fomentar iniciativas individuais e coletivas de criação, produção e difusão de conteúdos relacionados com o registro de memória oral e histórias de vida, democratizando essas práticas como instrumento de visibilidade e fortalecimento da diversidade cultural e histórica do Vale do Ribeira e estimulando posturas e comportamentos sociais que permitam às comunidades viverem numa relação construtiva consigo mesmas e com seu meio, fortalecendo assim, suas identidades e dinâmicas culturais.

O Ponto de Cultura Caiçaras, através do Pontão de Cultura Brasil Memória em Rede/Museu da Pessoa e do Pontão de Cultura “Nós Digitais”, realizará um ciclo de formação para os Pontos de Cultura do Vale do Ribeira interessados em desenvolver e/ou aperfeiçoar projetos de registro de memória e histórias de vida e de conhecer e/ou aprofundar na discussão sobre uso de software livre.

A formação esta dividida em quatro módulos, dois sobre: “Tecnologia Social da Memória” e dois sobre: “Software Livre e Revolução Midiática”. O primeiro módulo será sobre “Tecnologia Social da Memória” nos dias 17 e 18 de abril (sábado e domingo) em Cananéia – SP. As datas dos próximos serão definidas junto aos participantes, para que tenhamos a participação de todos durante esse ciclo de formação.

Além disso, no dia 16 de abril (sexta-feira) será feita uma breve discussão sobre a situação atual dos Pontos de Cultura do Vale do Ribeira em relação a diversas questões, como: administrativas, financeiras, operacionais, etc, afim de apoiar as organizações que estão com dificuldades de iniciar seus projetos e fomentar a troca de experiências entre as que estão caminhando.

PROGRAMAÇÃO

Sexta-feira – 16 de abril

Chegada dos participantes
19h – Roda de prosa sobre situação geral dos Pontos de Cultura do Vale do Ribeira (gestão, comunicação, articulação, prestação de contas, tecnologias, etc)

Sábado – 17 de abril

08h – Café da manhã
09h – Curso de Tecnologia Social da Memória
13h – Almoço
14h – Curso de Tecnologia Social da Memória
19h – Jantar

21h – Mostra de Vídeo:

“Agentes de Memória em Rede” (5min) – Pólo Pará BMR/Argonautas

“O Grande Balé de Damiana” (15min) – Revelando os Brasis

22h – Apresentações culturais: Fandango Caiçara, Orchestra Sacinfônica e palco aberto

Domingo – 18 de abril

08h – Café da manhã
09h – Curso de Tecnologia Social da Memória
13h – Avaliação e encaminhamentos
14h – Almoço
Retorno dos participantes

Informações

E-mail: cleberbio@yahoo.com.br ou fernando@matimperere.com.br ou ligue para (13) 9114-0749 (Cleber), (13) 9777-0030 (Fernando) ou (13) 3851-3959 (Ponto de Cultura “Caiçaras”).

Formação em Tecnologia Social da Memória e Revolução Midiática – 16, 17 e 18/04 – Cananéia – SP

APRESENTAÇÃO

Este projeto faz parte do Prêmio Tuxáua Cultura Viva, lançado pelo Ministério da Cultura em 2009 e tem como proposta a mobilização e articulação de ações que reúnam representantes de diversos Pontos de Cultura, redes sociais e iniciativas de atividades que promovam o fortalecimento de laços e somem esforços na construção de objetivos comuns. Visando isso, nós do Ponto de Cultura “Caiçaras” – Cananéia/SP, queremos compartilhar nossa experiência com os demais Pontos do Vale do Ribeira e tecer uma rede horizontal de iniciativas para fortalecermos e potencializarmos nossas ações.

OBJETIVO GERAL

Articular e fomentar iniciativas individuais e coletivas de criação, produção e difusão de conteúdos relacionados com o registro de memória oral e histórias de vida, democratizando essas práticas como instrumento de visibilidade e fortalecimento da diversidade cultural e histórica do Vale do Ribeira e estimulando posturas e comportamentos sociais que permitam às comunidades viverem numa relação construtiva consigo mesmas e com seu meio, fortalecendo assim, suas identidades e dinâmicas culturais.

ATIVIDADES

O Ponto de Cultura Caiçaras, através do Pontão de Cultura Brasil Memória em Rede/Museu da Pessoa e do Pontão de Cultura “Nós Digitais”, realizará um ciclo de formação para os Pontos de Cultura do Vale do Ribeira interessados em desenvolver e/ou aperfeiçoar projetos de registro de memória e histórias de vida e de conhecer e/ou aprofundar na discussão sobre uso de software livre.

A formação foi dividida em quatro módulos, dois sobre: “Tecnologia Social da Memória” e dois sobre: “Software Livre e Revolução Midiática”. O primeiro módulo será sobre “Tecnologia Social da Memória” nos dias 17 e 18 de abril (sábado e domingo) em Cananéia – SP. As datas dos próximos serão definidas junto aos participantes, para que tenhamos a participação de todos durante esse ciclo de formação.

Além disso, no dia 16 de abril (sexta-feira) faremos uma breve discussão sobre a situação atual dos Pontos de Cultura do Vale do Ribeira em relação a diversas questões, como: administrativas, financeiras, operacionais, etc, afim de apoiar as organizações que estão com dificuldades de iniciar seus projetos e fomentar a troca de experiências entre as que estão caminhando.

PROGRAMAÇÃO (sujeita a alterações)

Sexta-feira – 16 de abril

Chegada dos participantes
19h – Roda de prosa sobre situação geral dos Pontos de Cultura do Vale do Ribeira (gestão, comunicação, articulação, prestação de contas, tecnologias, etc)

Sábado – 17 de abril

08h – Café da manhã
09h – Curso de Tecnologia Social da Memória
13h – Almoço
14h – Curso de Tecnologia Social da Memória
19h – Jantar
22h – Apresentações culturais: Fandango Caiçara, Orchestra Sacinfônica e palco aberto

Domingo – 18 de abril

08h – Café da manhã
09h – Curso de Tecnologia Social da Memória
13h – Avaliação e encaminhamentos
14h – Almoço
Retorno dos participantes

Informações

E-mail: cleberbio@yahoo.com.br ou fernando@matimperere.com.br ou ligue para (13) 9114-0749 (Cleber), (13) 9777-0030 (Fernando) ou (13) 3851-3959 (Ponto de Cultura “Caiçaras”).

Cleber Rocha Chiquinho publicou em 08.Abril.10
cleberbio@yahoo.com.br

1º Simpósio de História Oral e Memória – Chamada para trabalhos

O GEPHOM – Grupo de Estudo e Pesquisa em História Oral e Memória da Universidade de São Paulo convida professores, pesquisadores e estudantes para a submissão de resumos para o 1º Simpósio de História Oral e Memória: Memória da Zona Leste de São Paulo, que acontecerá nos dias 22 e 23 de junho de 2010, na Escola de Artes, Ciências e Humanidades da USP.
Serão avaliados os resumos sobre temas afins aos dois eixos temáticos do simpósio, remetidos até o dia:

Eixo temático “História e memória da Zona Leste de São Paulo”:

Movimentos sociais, história e política na Zona Leste de São Paulo.
Movimentos migratórios em São Paulo e na Zona Leste.
Patrimônio, memória, história e urbanização de bairros, de cidades e da Zona Leste de São Paulo.
Eixo temático “História oral, memória e fontes de pesquisa”:

Fontes orais: métodos de pesquisa e análise.
Memória, identidade e cultura.
História oral e história local.

Instruções para a apresentação de propostas
Os interessados deverão enviar seus resumos, impreterivelmente até 05 de abril de 2010 [prorrogado para 12 de abril de 2010], para o e-mail gephom@gmail.com. Eles deverão conter de 400 a 500 palavras, incluindo, de forma não-esquemática: a) justificativa; b) objetivos; c) marco teórico; d) metodologia; e) resultados. Formatação: arquivo em word (.doc) 2003; Times New Roman; Tamanho: 11; Espaçamento: simples. Pede-se anexar uma nota biográfica resumida (máximo 4 linhas). O resultado da avaliação será divulgado a partir do dia 15 de abril de 2010, por e-mail e pelo website http://each.uspnet.usp.br/gephom/. Professores, pesquisadores e estudantes de pós-graduação com trabalhos aceitos serão alocados em sessões temáticas; estudantes de graduação participarão de sessões de comunicação de pesquisa.

Critérios de avaliação
· Os trabalhos serão avaliados pela Comissão de Avaliação, presidida pela coordenação do evento;
· Somente serão avaliados os trabalhos explicitamente referentes à temática do evento e que estiverem de acordo com as normas de prazo e formatação;
· Não será permitida a substituição de arquivo do resumo nem do texto completo.

Certificados

Serão emitidos pela organização do evento aos participantes que apresentarem trabalho e aos ouvintes que comparecerem a pelo menos 85% da programação.

Taxas de inscrição
– Ouvintes: até 30 de abril de 2010: R$ 10,00
após essa data: R$ 20,00
– Apresentadores de trabalho:
estudantes de graduação: R$ 20,00
estudantes de pós-graduação: R$ 50,00
Professores e pesquisadores: R$ 60,00

A taxa de inscrição dará direito à participação em todas as atividades do evento, aos cadernos de resumos e à emissão de certificado (conforme normas acima).

As inscrições para ouvintes já estão abertas.

Maiores informações:

GEPHOM – Grupo de Estudo e Pesquisa em História Oral e Memória
http://each.uspnet.usp.br/gephom/
gephom@gmail.com

O Pólo Arte na Escola realiza encontro de Arte-Educadores tendo como palestrante o Arte-Educamor Samir Raoni, Pólo Pará BMR.

Foto 1: Samir Raoni falando da Importância do Portal Colaborativo para a Produção da Memória Local.

O ENCONTRO DE ARTE-EDUCADORES que acontece dia 14 (hoje) e 15 de abril
iniciou com uma Roda de Conversa sobre a experiência de Samir Raoni,
que é Poeta e Arte-Educamor dos Argonautas, organização
não-governamental que realiza 9 projetos no Pará e que tem feito
parceria com a Universidade Cruzeiro do Sul e seu Programa de
Extensão/Proeja, através do Pólo Pará do Brasil Memória em Rede, no
qual é documentarista e pesquisador. O Pólo Pará do BMR e a
Universidade tem dialogado deis de Agosto de 2009, através da
Pesquisadora do CNPq Nilce Léa Lobato, que já realizou com o Samir
Raoni cinco projetos, entre eles o Portal de Educação Compartilhada e
Memória – CENTRO DE MEMÓRIA, espaço que Raoni e Nilce, idealizadores
dos projetos que tem conseguido resultados inspiradores. O Portal
Centro de Memória esta se tornando um espaço de troca de experiências
entre educadores e alunos principalmente de Artes e Pedagogia que tem o
apoio da Prof°. Dr. Rosema Santiago, parceira integral das iniciativas
deis de sempre.

Hoje 14 de abril, o Encontro de Arte-Educadores “O Papel do Portal
Colaborativo na Produção da Memória Local iniciou com a fala do
Pro-Reitor Dr. Renato Padovese sobre o Programa de Extensão da
Universidade que agrega vários projetos, e tem o interesse de estimular
os alunos a iniciação cientifica, após sua fala Rosemery falou do Pólo
Arte na Escola que tem como missão incentivar o ensino da Arte por meio
de formação contínua do professor do ensino básico, investigando e
qualificando processos de aprendizagem. Após sua fala o palestrante
convidado pelo Pólo Arte na Escola, Samir Raoni falou dos Argonautas
Ambientalistas da Amazônia gestora do Pólo Pará do BMR que tem como
objetivo fomentar o diálogo entre produtores, articuladores e usuários
de conteúdos de memória para democratizar o uso e a prática da memória
histórica do Pará. Raoni pontuou a importância das Universidades
estarem fazendo parcerias com projetos sociais. Contou os resultados
que essas parcerias tem emergido, no Pará a ONG é parceira da
Universidade Federal do Pará, Universidade da Amazônia – UNAMA e
Universidade Federal Rural da Amazônia – UFRA, parcerias que tem
permitido um trabalho de campo bem interessante entre as comunidades
tradicionais: ribeirinhos, quilombolas e indígenas. É uma soma perfeita
entre alunos/universidade e movimento social/comunidade fazendo uma
troca que permite a vivência, o debate e a pesquisa, função social dos
projetos e responsabilidade social das instituições. Exemplificou como
essa experiência de Memória Social pode contribuir para o
Desenvolvimento Local tendo as tecnologias de informação e comunicação,
regada com o respeito bio-regional, pode trazer para a superfície novos
olhares de fora para dentro e de dentro para fora, proporcionando um
sentimento de pertencimento, resgate e transformação.

Após citar o projeto, falar da transversalidade com os Programas de
Extensão que foi exemplificado com vídeo-doc “Agentes de Memória em
Rede” um dos resultados do Pólo Pará, Nilce Léa contextualizou como foi
feito os cinco projetos, trazendo para o dialogo sua experiência
enquanto aluna da universidade e pesquisadora do CNPq, que esta
relacionado ao programa de extensão da Universidade Cruzeiro do Sul
apoiador e incentivador destas ações realizadas colaborativamente por
Nilce em São Paulo e Samir no Pará, provando a função pratica do Portal
Centro de Memória. Nilce contou que ela e Samir se encontraram em
Dezembro para escreverem um projeto para o Museu da Pessoa, hoje
intitulado Memória Social em Rede – A Memória no Norte e Sul do País,
um estudo comparativo que tem como foco de pesquisa jovens e adultos
não alfabetizados e como plano de ação o meio Rural e Urbano de São
Paulo e Cananéia (SP) e Ananindeua e Belém. Nilce conclui sua
apresentação com fotos que narram a sua trajetória como pesquisadora em
parceria com o programa de extensão.

O programa de extensão com o apoio da coordenação do Proeja tem
fortalecido bastante a parceria entre essas duas regiões tão distinta
socioculturalmente, e que tem tantos pontos em comum para compartilhar
contribuindo para o desenvolvimento local, humano.

Foto 2: Samir Raoni, Argonautas / Pólo Pará BMR Entregando os livros João Batista – O Matiri da Luta Pela Reforma Agrária e a metodologia utilizada pela ong para gerir os projetos Desenvolvimento Local Amazônico – DELA, um dos resultado do projeto Pontão de Cultura Rede Amazônica de Protagonismo Juvenil realizado pela ong, para Dr Renato, Pro-Reitor da Universidade Cruzeiro do Sul.

Nilce Léa, PROEJA/CNPq falando dos cinco projetos realizados em parceria PROEJA/Universidade Cruzeiro do Sul e ARGONAUTAS/Pólo Pará BMR
Pro-Reitor Dr. Renato falando do Programa de Extensão da Universidade Cruzeiro do Sul, parabenizando os projetos desenvolvidos em parceria e convidando os alunos para se informarem mais desse programa que tem iniciado cientificamente os alunos.

Apresentação da História de Vida de Samir Raoni, apresentado por Nilce Léa, PROEJA/CNPq

Participantes do Encontro de Arte-Educadores “ A Importância do Portal Colaborativo para a Produção de Memória Local
Samir Raoni entregando o livro João Batista – O Matiri da Luta Pela Reforma Agrária, e a metodologia utilizada pela ong para gerir seus projetos, “Desenvolvimento Local Amazônico – DELA”, um dos resultado do projeto Pontão de Cultura Rede Amazônica de Protagonismo Juvenil realizado pela ong, para Prof° Dra Rosemery Santiago, Universidade Cruzeiro do Sul.
O Arte-Educamor Samir Raoni fazendo dinimica “Fortalecendo-se em Rede” com os educadores da Universidade Cruzeiro do Sul.

Teia da Memória reúne experiências museais

Representantes de Pontos de Memória de todo o país vão se reunir, de 26 a 28 de março, no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura – (IACC), em Fortaleza – CE , para participar da Teia da Memória 2010.

P1030384O encontro integra a programação daTeia Brasil 2010 – Tambores digitais, promovido pela Comissão Nacional dos Pontos de Cultura, representado pelo Instituto da Cidade, em parceria com o Ministério da Cultura (MinC), o Governo do Ceará e o IACC, para o qual estão previstos representantes dos 2,5 mil Pontos de Cultura.

A Teia da Memória pretende ser um espaço para os Pontos de Memória debaterem sobre o tema memória social, afim de apresentar e definir estratégias de ação, trocar ideias e experiências culturais.

Na programação estão prevista mesa-redonda com o tema “O poder transformador da memória”, uma “Roda da Memória” – atividade com metodologia aplicada pelo Museu da Pessoa; e um momento em que será discutido o inventário participativo a ser desenvolvido pelos Pontos de Memória.

Durante o evento, também está prevista uma mobilização museal inusitada: o Museu do Cortejo, no qual os representantes dos Pontos de Memória vão apresentar objetos representativos do trabalho desenvolvido para a memória da comunidade. Mais informações: (85) 3488.8600.

Confira a programação:

26/03 – Teia das Ações

14h- Recepção e Credenciamento Programação Pontos de Memória

14h30 – Mesa de abertura: Teia Brasil 2010

Organização dos Estados Ibero-americanos- OEI

Programa Nacional de Segurança Pública e Cidadania – PRONASCI

Secretaria de Cidadania Cultural – SCC/MinC

Instituto Brasileiro de Museus – Ibram/MinC

15h – Apresentação do Programa Cultura Viva e Ibram

Secretaria de Cidadania Cultural – SCC/MinC

Instituto Brasileiro de Museus – Ibram/MinC

16h00 – Intervalo

16h15 – Mesa: O Poder Transformador da Memória

Mário de Souza Chagas – Depmus/Ibram

Antônio Carlos – Presidente da Associação Brasileira de Museologia – representante do Museu da Maré

17h30 – Roda de Memórias (Metodologia – Museu da Pessoa)

19h00 –Saída do Museu Cortejo

27/03 – Teia das Ações

8h30 – Dinâmica de acolhimento

9h – Apresentação do Programa Pontos de Memória

Marcelle Pereira – Coordenadora de Museologia Social e Educação – Depmus/Ibram

10h – Mesa: Inventário Participativo

Oswaldo Martins de Oliveira – Universidade Federal do Espírito Santo/ UFES

Cícero Almeida – Coordenador de Patrimônio Museológico – Depmus/IBRAM

11h – Debate

14h – Pontos de Memória: metodologia e diretrizes para os próximos anos

Cláudia Rose – Chefe de Núcleo Museologia Social/ Coordenação Museologia Social e Educação Depmus/Ibram

Wélcio de Toledo, Inês Gouveia e Daniel Fernandes- Consultores Pontos de Memória/Ibram –

15h – Grupos de Trabalho – Diretrizes dos Pontos de Memória para os próximos anos

16h – ntervalo

16h15 – Plenária dos Grupos

17h00 – Saída do Museu Cortejo

28/03 – Teia das Ações – Plenária Geral

Equipe Responsável pela Ação Pontos de Memória na Teia Brasil 2010

Realização: Departamento de Processos Museais e Departamento de Difusão Fomento e Economia de Museus

Ibram lança dois editais de fomento a museus

O Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) está com inscrições abertas para duas iniciativas de fomento à área museológica: os editais do Prêmio Darcy Ribeiro e de Modernização de Museus.

O Prêmio Darcy Ribeiro contempla práticas relacionadas à ação educativa em museus brasileiros, com premiações de R$ 15 mil, R$ 10 mil e R$ 8 mil, para os três primeiros colocados e a publicação dos 20 projetos mais bem pontuados. Podem concorrer instituições museais públicas municipais, estaduais e federais, não vinculadas ao MinC; órgãos ou entidades públicas aos quais os museus estão vinculados; e instituições museais de direito privado sem fins lucrativos. As inscrições encerram-se no dia 12 de fevereiro de 2010.

O edital de Modernização de Museus oferecerá aporte financeiro para unidades museológicas investirem na aquisição de mobiliário, acervos, equipamentos, material permanente, serviços e adequação de espaços museais. Serão aceitos projetos de pessoas jurídicas de direito público e privado sem fins lucrativos que solicitem apoio entre R$ 100 mil e R$ 200 mil, incluindo a contrapartida. As instituições interessadas têm até 5 de fevereiro de 2010 para encaminhar suas propostas.

Os arquivos completos para download estão disponíveis no endereço: http://www1.museus.gov.br/IBRAM/PAG/noticia_detalhe.asp?cn=12

Informações podem ser conseguidas pelo telefone (61) 3414-6207, na Coordenação de Fomento e Financiamento do Ibram/MinC.

Fonte: www.bmr.org.br

BMR realiza reunião de planejamento e avaliação

A reunião de planejamento e avaliação 2009 do BMR aconteceu dias 10 e 11/12 em São Paulo, no Museu da Pessoa. Seus objetivos foram avaliar a produção do BMR até o momento, realizar uma leitura sobre o futuro da rede, planejar o ano de 2010 e encaminhar livro do BMR para publicação. Estiveram presentes representantes de seis pólos regionais (Paraíba, Goiás, Ceará, São Paulo, Rio Grande do Sul e Santa Catarina), além de Denísia Martins Borba, antiga colaboradora da rede, e representantes do Museu da Pessoa.

O encontro foi produtivo e desenvolveu um plano de ação para a rede, prevendo, entre outros encontros menores, a realização de um seminário nacional de memória a ser realizado no Rio Grande do Sul. Também foram discutidas possibilidades de captação de recursos e propostas para 2010.

Além disso, a rede se propôs a fortalecer e propor novas parcerias institucionais da rede com órgãos como MinC, Ibram e TV Brasil, além de fechar parceiras com os Pontões de Cultura Digitais para realização de formações em software livre.

Fonte: www.bmr.org.br

Pontão de Cultura BMR realiza formação na Metodologia do Museu da Pessoa

Museu da Pessoa

O Pontão de Cultura Brasil Memória em Rede, do Museu da Pessoa, realizou um edital para selecionar organizações interessadas em participar de uma formação na metodologia do Museu da Pessoa. A formação acontecerá em São Paulo, no Museu da Pessoa em quatro etapas. A primeira acontecerá já no dia 13 e 14 de novembro próximos.

O objetivo é formar organizações e Pontos de Cultura que possuam interesse em desenvolver um projeto de memória ou que já estejam desenvolvendo e queiram aperfeiçoar sua técnica de registro de histórias de vida. A formação também tem o objetivo de integrar os participantes ao Brasil Memória em Rede, tecendo uma rede de contatos e troca de experiências entre esses e entre as outras organizações participantes.

As organizações selecionadas foram:

– Associação Rede Cananéia e Ponto de Cultura “Caiçaras”/IPeC
– Núcleo Memórias do ABC da Universidade Municipal de São Caetano do Sul
– Companhia As Bárbaras de Multeatro
– Associação da Comunidade de Remanescentes do Quilombo da Fazenda – Ubatuba/SP
– Ponto de Cultura Audiovisualistas (Associação Centro Cineclubista de São Paulo – CECISP)
– Centro Estadual de Educação Tecnológica Paula Souza
– Conectas Direitos Humanos
– Instituto Elos Brasil
– Instituto Fazendo História
– Associação Comunitária Monte Azul
– Museu Municipal Gustavo Teixeira
– Fundação Perseu Abramo – Centro Sérgio Buarque de Holanda – documentação e história política.
– Instituto Polis
– Reino da Garotada de Poá
– Centro de Pesquisa e Documentação São Miguel Paulista – Fundação Tide Azevedo Setubal
– Universidade Cruzeiro do Sul/Programa de Pesquisa em Educação de Jovens e Adultos – PROEJA/Centro de Documentação em Educação e Cultura – CEDEC.

Solicitamos aos selecionados que confirmem a presença até terça feira, dia 10 de novembro. Informamos que as organizações que se inscreveram mas não foram selecionadas serão mantidas em nosso mailing e informadas de nossas próximas formações.

FONTE: BRASIL MEMÓRIA EM REDE

Campanha Histórias que Mudam o Mundo

Campanha Histórias de Mudança

O mundo não é estático, grandes ou pequenas histórias de mudança acontecem todos os dias ao nosso redor. E cada uma delas tem seu papel na construção coletiva da história humana. Partindo da certeza de que cada trajetória transforma, o Museu da Pessoa lança a campanha Histórias que Mudam o Mundo, ação que reunirá num painel colaborativo vídeos com histórias de mudança de todo o país.

Esta é uma notícia-convite. Convidamos interessados de qualquer lugar do Brasil e do mundo a assistir os vídeos com histórias de transformação que já estão no site http://www.museudapessoa.net/MuseuVirtual/hmm . A primeira fornada veio de uma releitura do acervo do Museu da Pessoa, instituição que busca contribuir para tornar a história de cada pessoa valorizada pela sociedade e já tem mais de onze mil entrevistas com histórias de vida em seus arquivos.

Esperamos que as próximas fornadas venham de vocês, internautas, produtores de vídeo e amadores dispostos em geral, queremos ouvir suas histórias de transformação. Vale mudança pessoal, crescimento individual ou aprendizado. Vale pequenas mudanças, aquelas do cotidiano que quase ninguém nota. Vale as enormes, que envolvem muitas e muitas pessoas. Vale a transformação de um local, de como aquela praça degradada foi recuperada ou como resolveram aquele problema no seu bairro. Vale também criações líricas, poéticas, que tal uma animação sobre aquela árvore que tanto representou para sua infância e agora se foi? Vale até mesmo críticas, gostaria de descer a lenha naquela transformação externa que mudou sua vida para pior? É uma boa hora, um grupo do Maranhão pretende contar como a soja cresceu demais em sua região e tomou terras de muitos produtores…

Queremos provas de que o mundo não fica parado. Vídeos que sejam ao mesmo tempo registro de uma transformação e exemplo de mudança, que inspirem outros a atuar ou alertem possíveis agressões. E não precisa se intimidar, cada um de nós é parte fundamental do todo, então quando uma pessoa muda ela carrega junto todas as outras.

A campanha fica no ar de 21/09 a 21/10, trinta dias de produção. A qualidade técnica não será fator fundamental, os vencedores serão escolhidos por votação popular, muito mais interessada em narrativas envolventes do que na arte final dos vídeos. Os vídeos devem ter um minuto, com uma tolerância de dez segundos para créditos ou aquele finzinho de fala, e só. Ah sim, o vídeo mais votado leva para casa um MacBook.

Não, o mundo não é estático. E queremos provar.

Praticas de Memoria dos Argonautas nas Redes

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

Praticas de Memoria dos Argonautas nas Redes

Este Vídeo é um resumo das práticas de Memória que o Pólo Pará do projeto Brasil Memória em Rede, representado pelos Argonautas Ambientalistas da Amazônia. Deis de 2007 compomos essa parceria com o Museu da Pessoa.O Brasil Memória em Rede é uma rede de instituições e pessoas que valorizam o uso da memória como ferramenta de desenvolvimento social e cultural do país. Seu objetivo é fomentar o diálogo entre produtores, articuladores e usuários de conteúdos de memória para democratizar o uso e a prática da memória histórica do país.

Por meio deste movimento nacional, buscamos também mobilizar e fortalecer as iniciativas de memória presentes em todo o país, por meio da realização de encontros para troca de experiências e fomento de ações coletivas entre os participantes. Recentemente, Eu, Samir Raoni, Facilitador do Pólo Pará participei do III Fórum Brasil Memória em Rede, que aconteceu em São Paulo, de 19 a 21 de Agosto de 2009 – Evento onde foi exibido esse vídeo sobre nossa prática de Memória junto as Redes que integram o Pontão de Cultura Rede Amazônica de Protagonismo Juvenil e o Pólo Pará do Brasil Memória em Rede.

Faça parte dessa Rede, acesse: http://www.bmr.org.br / Pólo Pará Acesse: http://www.poloregionalbmr.wordpress.com ou envie um e-mail para samirflemer@argonautas.org.br

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

more about “Praticas de Memoria dos Argonautas na…“, posted with vodpod

Facilitador do Pontão de Cultura Rede Juvenil entrega Carta dos Cineclubes da Região Metropolitana de Belém em entidades de SP e RJ.

Facilitador do Pontão de Cultura Rede Juvenil entrega Carta dos Cineclubes da Região Metropolitana de Belém em entidades de SP e RJ.

A experiência da troca de conteúdos e vivências proporcionada pela participação nos DIÁLOGOS CINECLUBISTAS – A fala das práticas – Relatos de experiências e rodas de diálogos, evento livre, democrático e independente, realizado nos dias 17, 18 e 19 de agosto de 2009 em locais onde são desenvolvidas as mais diversas praticas cineclubistas em Belém e em Ananindeua, trouxe para os seus participantes a certeza de que o CINECLUBE é um espaço de construção de aprendizados e diálogos democráticos e necessariamente uma ferramenta educativa capaz de formar consciências e culturas poéticas e visuais, pelas quais o ser humano pode vir a criar e a produzir um novo pensamento, assim como a arte na sua plenitude política e libertária.
Nesse sentido, nós, realizadores, produtores e técnicos, atores e atrizes, cineclubistas, críticos e pesquisadores, exibidores e amantes do cinema, representantes de projetos e organizações com forte atuação em Belém e em Ananindeua, resolvemos tornar pública a <a href=”http://redecinenorte.ning.com/forum/topics/carta-dos-cineclubistas-da-1” target=”_blank”>CARTA DOS CINECLUBISTAS DA REGIÃO METROPOLITANA DE BELÉM</a>, com o objetivo de refletir, compartilhar e sugerir idéias e propostas para fortalecer o cinema, o audiovisual e o cineclubismo no Estado do Pará.

Reconhecendo a importância dos DIÁLOGOS CINECLUBISTAS para o processo de fortalecimento, fomento e principalmente reconhecimento das demandas que refletem as realidades Paraenses e Amazonidas, no que se refere à audiovisual e movimento cineclubista, eu, Samir Raoni, Facilitador do Pontão de Cultura Rede Amazônica de Protagonismo Juvenil, Após ter participado do III Fórum do Brasil Memória em Rede, que aconteceu no SESC Vila Mariana no período de 19 a 21 de agosto, aproveito a presença em São Paulo para cumprir uma agenda de entrega da CARTA DOS CINECLUBISTAS DA REGIÃO METROPOLITANA DE BELÉM, a fim de consolidar uma comunicação mais horizontal e por conseguinte mais direta com os movimentos Cineclubistas do País.

AGENDA DE ENTREGA DA CARTA DOS CINECLUBISTAS DA REGIÃO METROPOLITANA DE BELÉM

  • SÃO PAULO
    27 de Agosto, Cineclube Pólis – Pontão de Cultura
    27 de Agosto, Cineclube Centro Paulista – Ponto de Cultura
    28 de Agosto, Pimentel – CNC
    28 de Agosto, TEIA Regional SP, Encontro dos 280 Pontos de Cultura de São Paulo.

 

  • RIO DE JANEIRO
    31 de Agosto, Escola de Cinema Darcy Ribeiro

CONHEÇA A CARTA

Para falar com Samir Raoni acesse: www.samiraoni.wordpress.com / (91) 8181-4994

Essa matéria foli publicada:
– Poral Rede Juvenil
– Portal Cineclube Rede Norte
– Rede Amazônia Juvenil
– Rede Teatro da Floresta
– Pólo Regional BMR Pará
– Rejuma
– Samir Raoni

III Fórum Brasil Memória em Rede, Participe!


III Fórum Brasil Memória em Rede

O III Fórum Brasil Memória em Rede acontecerá no SESC Vila Mariana em São Paulo entre os dias 19, 20 e 21 de agosto de 2009. Tem como objetivo fortalecer a rede formada entre os participantes da iniciativa Brasil Memória em Rede, por meio de debates, reflexões e troca de experiências.

O III Fórum privilegiará espaços de troca entre os participantes, por meio de espaços abertos para atividades auto-gestionadas. Teremos também espaços para que as pessoas e organizações, já participantes da rede, aprofundem conhecimentos sobre as práticas que vêm desenvolvendo e avaliem as ações desenvolvidas pela rede ao longo do último ano.

Leia mais>>

Dia Internacional da História de Vida

Dia Internacional da História

Manuel dos Santos Paiva nasceu em 19 de março de 1929 em Gildinho, Freguesia do Real, região do Porto, Portugal. Viveu ali toda a infância, sempre trabalhando na lavoura. Aos 28 anos, atraído por cartas de parentes que viviam no Brasil, decidiu emigrar. Mas antes precisou aprender a ler e a escrever.

Ajudado pela irmã, embarcou para o Brasil, chegou em Santos e começou a trabalhar entregando pão com carrocinha puxada a burro na região da Freguesia do Ó, em São Paulo. Logo comprou casas e padarias. Casou por procuração com Maria do Céu, portuguesa como ele, e que ele só conheceu quando ela chegou ao Brasil, alguns meses depois do casamento.

Leia mais>>

Argonautas realizam nova rodada de oficinas gratuitas

Mais duas oficinas estão sendo ofertadas pelos Argonautas nesta semana. Uma oficina de Inclusão Digital e uma Oficina de Cinema. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas no portal www.redejuvenil.com.br.

OFICINA DE CINEMA

No dia 9 começa a Oficina de CINEMA “Linguagem e Processos de criação em Cinema: produção, roteiro, direção, montagem e pós-produção”.
Os participantes terão a compreensão do processo cinematográfico desde a criação do roteiro até a pós-produção, destacando as características de cada processo e as responsabilidades dos profissionais envolvidos, assim como a relação entre as áreas.

Publico prioritário (uma vaga): Pontos de cultura do Pará; para as escolas de Ananindeua que participam do projeto Caravana Digital; organizações que fazem parte do Pólo Regional Pará do Brasil Memória em Rede – BMR; integrantes da rede de apoio estadual do projeto Vidas Paralelas; e outras organizações e movimentos socioculturais que já tenham atuação, ou que tenham interesse em atuar na área do audiovisual, estas mediante a disponibilidade de vagas (30 ofertadas).

A realização da oficina é fruto de uma parceria entre a ong Argonautas Ambientalistas da Amazônia e a Escola de Cinema Darcy Ribeiro – RJ. Entre os objetivos dessa parceria, estão a promoção de um debate que permita àqueles que não são da área do cinema compreender o processo necessário para fazer um filme, assim como, estimular a articulação em rede dos pontos de cultura, organizações não-governamentais, governamentais e movimentos socioculturais do Pará que tenham interesse em audiovisual com vistas à formulação de projetos e políticas públicas para este setor. A iniciativa tem o apoio da Rede Amazônica de Protagonismo Juvenil, pontão de cultura conveniado com o Mistério da Cultura e do Instituto de Artes do Pará, um dos parceiros da rede.

SERVIÇO: A oficina “Linguagem e Processos de criação em Cinema: produção, roteiro, direção, montagem e pós-produção”. será realizada em Belém no período de 9 e 11 de maio de 2009 no horário das 8 às 18 horas, na sede do Instituto de Artes do Pará (IAP) Praça Justo Chermont, nº 236 – Nazaré.

OFICINA DE INCLUSÃO DIGITAL

A oficina de Inclusão Digital faz parte da programação do projeto Caravana Digital: Juventude Conectada Pela Cidadania. A oficina é uma atividade preparatória às oficinas de Comunicação Comunitária (ComCom) será realizada no auditório da Escola Estadual Agostinho Monteiro nos dias 7 e 8 de maio de 2009. Tem como público alvo seis escolas estaduais e três grupos culturais que são parceiros do projeto Caravana Digital.

INSCRIÇÕES: As inscrições para as oficinas são gratuitas e podem ser feitas no portal www.redejuvenil.com.br

Links para inscrição on line:

Oficina de Cinema: http://spreadsheets.google.com/viewform?formkey=ck15c29Idk9EalhKNHUyUHVzN2N5X2c6MA..

Oficina de Inclusão Digital: http://spreadsheets.google.com/viewform?hl=pt_BR&formkey=cnRlTXVhcVJpMm9VXzZ2NlpUWUNKSWc6MA..

Informações: (91)3226-3921 e 8181-4994 8215-1357

Exposição “Expedição do Redescobrimento: Um novo jeito de conhecer o Brasil”

exposicao-bmr-polo-para7

Local: espaço Raízes do Parque Zoobotânico do Museu Paraense Emilio Goeldi

Horário de visitação: 09:00 ás 17:00

Dias: 21 e 22, 28 e 29 de março e 04 e 05, 11 e 12 de abril de 2009, sempre aos sábados e domingos.

Sobre a exposição: A Exposição “Expedição do Redescobrimento: Um novo jeito de conhecer o Brasil” é um dos resultados da Expedição do Redescobrimento, ação desenvolvida durante os anos de 2007 e 2008 pelo Brasil Memória em Rede – BMR.

0 Brasil Memória em Rede é uma rede nacional de instituições e pessoas que valorizam o uso da memória como ferramenta de desenvolvimento social e cultural do país. Seu objetivo é articular iniciativas de memória para promover e democratizar a prática da memória como instrumento de visibilidade e fortalecimento da diversidade cultural e histórica do país.

A coordenação Nacional do projeto fica a cargo do Museu da Pessoa (SP), e a ONG ARGONAUTAS Ambientalistas da Amazônia é coordenadora do Pólo Regional Norte do BMR.

Roda de Memória: Os Jovens Ambientalistas Argonautas (JAA) estão responsáveis pela coordenação da exposição Um novo jeito de conhecer o Brasil que acontecerá como dito acima no espaço Raízes do Parque Zoobotânico do Museu Paraense Emilio Goeldi nos dias 21, 22, 28 e 29 de março e 04, 05, 11 e 12 de abril de 2009, sempre aos sábados e domingos.

Aproveitando a exposição o (JAA) vai realizar a dinâmica Roda de Memória dos Movimentos e Organizações parceiros-amigos do (JAA).

A memória desses movimentos formará um documentário multicultural das juventudes Amazônica que integrara o banco de memórias sociais do Museu da Pessoa.

Obs: A Roda de Memória será no dia 05 de Abril, domingo, ás 10:00 h da manhã.

Movimentos e Organizações convidados para a Roda de Memória: Movimento Negro, Movimento do Reggae, Movimento Hip Hop, Produtora Belle Époque, Sitio Refazenda, Arte Fazenda, (JAA), Núcleo de Artes Visuais da UFPA, Cine Arte da UFPA, União Metropolitana de Esportes e Cultura de Rua, Federação Paraense de Skate, Curro Velho, IAP e EGPA.

 

Peço a todos os movimentos e organizações que escolha de um a dois representantes para participarem da Roda de Memória.

Sites e Blogs para informação: www.museudapessoa.net.br e www.brasilmemoriaemrede.org.br


Samir Raoni

Facilitador do Pólo Regional do Brasil Memória em Rede

Samirflemer@argonautas.org.br

(91) 8181-4994

Hello world!

Welcome to WordPress.com. This is your first post. Edit or delete it and start blogging!